Bill Callahan na Casa da Música: a voz sussurrada


Bill Callahan na Casa da Música: a voz sussurrada

Norte-americano apresentou novo álbum em terras lusas.

São poucos os lugares vazios na enorme sala da Casa da Música. Ao fundo do palco, numa tela, surge a imagem de um pôr do sol. Na frente, os 4 músicos desta noite. Com um vozeirão que faz esquecer os escassos lugares vagos, "The Sing" é a primeira música da noite entoada pelo cantor norte-americano, Bill Callahan, e é também a primeira do seu novo álbum.

Dream River foi lançado em setembro e é a razão de Bill estar de volta a Portugal, quatro anos depois da sua presença num festival em Santa Maria da Feira. O cantor country-folk relembrou a sua última visita, depois de agradecer ao público a sua presença: "Thank you all for coming. You have a beautiful country here. I had almost forgotten".

O reportório da noite é, claramente, centrado nas músicas do seu mais recente álbum. No entanto, "Too many birds" do segundo álbum lançado sob o seu nome próprio, e "America!", "One fine morning" e "Drover" do álbum Apocalypse são as canções que mais aplausos e ovações obtêm do público.

A tela atrás dos músicos continua o seu trabalho. As imagens sucedem-se em catadupa, à medida que as melodias ganham intensidade. "America!" foi a música que mais batidas de pé arrancou da audiência, mas a grande surpresa da noite é o cover que Bill faz da canção de "Percy Mayfield" (1950) – "Please send me someone to love", precedida de um grande momento musical com a conjugação das guitarras, do baixo e da bateria.

Dos seus tempos de Smog (entre 1990 e 2005), relembra "Dress sexy at my funeral", do álbum Dongs of Sevotion e é com a lua cheia como pano de fundo que Bill Callahan, Adam Jones (bateria), Jaime Zuverza (baixo) e Matt Kinsey (guitarra) terminam o espetáculo desta noite com "Winter Road".  A letra desta música ganha uma nova estrofe: "It is time to say goodbye to the beautiful city of Porto. Another dinner…another dinner with ‘bacalau’, the salty fish, quite delicious!".

Abandonam o palco, ainda ouvindo-se os risos da multidão devido às suas últimas palavras. O público pede mais e Bill acata as ordens. Ele e os seus comparsas voltam ao palco para a derradeira – "Rock Bottom Riser", despedindo-se assim de terras lusitanas. Até à volta, nem que seja daqui a mais quatro anos.

Fotos: Diogo Baptista
Texto: Magda Santos


,