Vilar de Mouros regressa hoje ao alto minho


Vilar de Mouros regressa hoje ao alto minho

O mais antigo festival português, fundado em 1971, regressa esta quarta-feira a Vilar de Mouros depois de oito anos de ausência.

O festival a sério começa na quinta-feira com um cartaz marcado por sete regressos e seis estreias. Hoje, quarta-feira a partir das 18h00 acontece a receção aos campistas.

Os repetentes do "Woodstock" à portuguesa são os The Stranglers (1982), Tricky (2003 e 2006), UB40 (2002), Xutos & Pontapés (1996, 2001 e 2006), Blind Zero (2001), Blasted Mechanism (2003) e Guano Apes (2003).

Já as estreias são seis. O cantor José Cid (esteve em 1971, mas no Quarteto 1111), os Trabalhadores do Comércio (Sérgio Castro esteve em 2006, com a Banda de Poi, os La Union, Pedro Abrunhosa, Capitão Fausto e os Deolinda.

No primeiro dia, no palco principal, atuam os UB40, La Union, Blind Zero, Trabalhadores do Comércio e Capitão Fausto.

No segundo dia, 1 de agosto, é a vez de subiram ao palco principal Pedro Abrunhosa, The Stranglers, Blasted Mechanism e José Cid.

Guano Apes, Xutos & Pontapés, Tricky e os Deolinda integram o programa do último dia.

Entre 31 de julho e 02 de agosto, o recinto do festival funcionará entre as 16h30 e as 06h00.

O preço do bilhete diário custa €30, e o passe para três dias por €60. Qualquer modalidade de ingresso dá acesso ao campismo.

O parque de campismo situa-se junto ao recinto do mítico festival nas margens do rio Coura.

Slide, rappel, canoagem, arborismo, parede de escalada de dez metros são alguns dos desportos radicais preparados para os festivaleiros.

O festival é organizado pela Fundação AMA – Associação dos Amigos dos Autistas, pela Câmara de Caminha e pela junta de freguesia de Vilar de Mouros.

Trata-se de um projeto de economia social, uma vez que as receitas reverterão na íntegra para a construção de um edifício, em Viana do Castelo, para reforçar a capacidade de resposta, que já chega a 150 famílias com casos de perturbações do espetro do autismo.

As obras de construção do edifício, orçadas em cerca de 3,5 milhões de euros, deverão arrancar ainda este ano.

Horários dos concertos:

31 de julho

00h30 – UB40's Ali Campbell, Astro and Mickey Virtue
23h00 – La Union
21h30 – Blind Zero
20h30 – Trabalhadores do Comércio
19h30 – Capitão Fausto

Palco Histórico
18h15 – Budda Power Blues
17h00 – Trio Págu

1 de agosto

00h15 – Pedro Abrunhosa
22h30 – The Stranglers
21h00 – Blasted Mechanism
19h00 – José Cid

Palco Histórico
18h15 – Budda Power Blues
17h00 – Trio Págu

2 de agosto

01h30 – Guano Apes
23h45 – Tricky
22h00 – Xutos & Pontapés
20h30 – Deolinda
19h30 – The Legendary Tigerman

Palco Histórico
18h30 – The Lazy Faithful
17h30 – Búfalo
16h30 – Brantner

c/ Lusa


,