Viagem Medieval em Santa Maria da Feira bateu recorde de visitantes em 2017


Viagem Medieval em Santa Maria da Feira bateu recorde de visitantes em 2017

A organização da recriação histórica Viagem Medieval revelou que a edição que terminou no domingo em Santa Maria da Feira recebeu 620.000 visitantes e foi a que registou maior procura por turistas espanhóis, brasileiros e grupos empresariais. Em 2018, a Viagem Medieval em Terra de Santa Maria vai manter-se no mês de agosto, entre os dias 1 e 12, numa edição dedicada a D. Pedro, filho de D. Afonso IV, o rei retratado este ano. O desfecho do trágico amor de Pedro e Inês será, assim, um dos episódios a recriar na 22ª edição do evento.

Promovido pela empresa municipal Feira Viva, pela Câmara e pela Federação das Coletividades do concelho, a 21.ª edição do evento recriou o reinado de Afonso IV ao longo de 12 dias, num recinto de 33 hectares em que trabalharam diariamente cerca de 3580 pessoas e cuja oferta incluía propostas como 240 tendas comerciais, 1500 performances de animação circulante e 40 espetáculos inéditos, num total de 448 apresentações.

Em 2016 a Viagem registara uma afluência na ordem dos 600.000 visitantes e este ano recebeu mais 20.000, o que reflete também uma maior procura de visitantes estrangeiros, "maioritariamente espanhóis e brasileiros" interessados nos Bilhetes Experiência, que lhes permitiram, por exemplo, integrar os espetáculos no terreiro das Guimbras, como figurantes.

"Esta foi também a edição em que mais empresas ofereceram aos seus clientes e colaboradores experiências na Viagem Medieval", acrescenta a organização, em referência a propostas como as visitas guiadas com história, os repastos no Povoado e o circuito pelos Banhos de São Jorge.

"Os setores da banca, seguros, grande distribuição, metalomecânica e automóvel foram os que mais apostaram na compra destas experiências", explicam.

"Quando eu for Rei tu serás a minha Rainha". A célebre expressão que fechou, diariamente, um dos mais apaixonantes macroespetáculos desta edição – "Pedro e Inês" – lança o mote para o próximo ano. D. Pedro, o príncipe que se revoltou contra o pai, D. Afonso IV, por causa da morte de Castro e que, quando chegou ao trono, em 1357, anunciou o seu casamento, supostamente realizado em segredo com D. Inês, será o protagonista da 22ª edição. O episódio da coroação de D. Pedro e de D. Inês, depois de morta, faz antever momentos de grande intensidade nos espetáculos de recriação histórica.

Com uma procura acima do ano passado, seja nas unidades vendidas para acesso ao recinto (bilhetes diários e pulseira), seja nas áreas temáticas e espetáculos com bilheteira, a organização já decidiu manter a realização do evento em agosto, nos primeiros 12 dias, sendo também para manter o formato dos cortejos temáticos que se estrearam com enorme sucesso nesta edição – "A Peregrinação" e "A Chegada do Cavaleiro Negro (Peste)" – centrados em novos contextos e conteúdos históricos.

Também os turistas e visitantes procuraram viver a Viagem Medieval de forma mais intensa e sensorial, através dos bilhetes experiência que, na sua maioria, esgotaram nesta edição. Participaram sobretudo na grande batalha ("Guerreiro por um dia") e conheceram a história do reinado recriado, percorrendo os vários espaços do recinto guiados por uma personagem da época ("Visitas guiadas com história"). Os mais românticos refugiaram-se na idílica Quinta do Castelo para uma sessão de massagens no topo das grutas, seguida de jantar exclusivo a dois ao som de harpa e circuito pelos Banhos de S. Jorge ("Noite dos enamorados").


,