Miguel Corte Real em entrevista: "Venham ao POEIRAS porque é imperdível"


Miguel Corte Real em entrevista: "Venham ao POEIRAS porque é imperdível"

A pouco menos de um mês para a estreia do festival POEIRAS, estivemos à conversa com o responsável pela comunicação do festival. Miguel Corte Real contou-nos o que podemos esperar daquele que promete ser um festival bem diferente do que estamos habituados.

Noite e Música: Para quem ainda não ouviu falar do POEIRAS, como é que se descreve este festival?
Miguel Corte Real: É um festival pensado nas famílias. Em toda a família. A ideia é que seja um programa de dia inteiro, onde todos possam experimentar o Parque dos Poetas, um lugar único e incrível mesmo no centro de Oeiras.

NM: De onde é que surge a ideia de criar este festival?
MCR: É uma ideia conjunta da Câmara Municipal de Oeiras e da Companhia de Atores (CDA), com a autoria do António Terra, diretor criativo da mesma.

NM: Quando idealizaram o POEIRAS inicialmente, foi com o intuito de criar algo que fosse mais do que um festival de música?
MCR: Sim, muito mais do que isso. A Música é apenas um dos componentes. Na verdade é um Festival que celebra a Lusofonia em toda a sua extensão: Música, palavra, jogos e gastronomia tradicional e até artesanato. Uma oferta de qualidade, única, que tem como pano de fundo o Parque dos Poetas e que foi desenvolvida para um abrangente leque de gostos e personalidades encontrem no POEIRAS algo que os interesse.

NM: Porque é que o POEIRAS é diferente dos outros festivais?
MCR: Exatamente pela sua abrangência. Dá para um grupo de pessoas, com interesses variados, encontrarem o que procuram e descobrirem coisas novas que de outra forma não encontrariam. Imaginem uma família inteira em que todos fazem um piquenique, enquanto são surpreendidos por performances poéticas (com o ator Pedro Giestas e seus convidados) e onde depois uns vão assistir a um dos muitos concertos presentes no programa, outros vão aos recitais de poesia e as crianças se entretêm a fazer jogos culturais com a Biblioteca de Oeiras ou a construírem pipas (papagaios) de acordo com a tradição brasileira. Como o POEIRAS está também recheado de opções para se comer e beber as pessoas podem (e devem) ir o dia inteiro. Aliás, é muito provável que queriam repetir porque os vários dias do Festival não serão suficientes para a quantidade de oferta do mesmo 09, 10 e 11 de Setembro).

NM: Esta ideia de fazer prevalecer a cultura de vários países lusófunos é a ideia base deste projeto?
MCR: É certamente um dos seus pilares. O outro é gerar oportunidade de conhecer o Parque dos Poetas, que é certamente um dos melhores da Europa. Aliás, só o parque já seria motivo de interesse, pois está cheio de poesia e esculturas espalhados por toda a sua extensão.

NM: Quais são as expetativas para este festival? Esperam receber os 30 mil visitantes que enchem o recinto?
MCR: É essa a nossa expectativa pela qualidade da oferta e pelo facto de ser entrada livre. Não ir é mesmo uma má opção! Mas 30 mil visitantes não enchem o recinto e mantém o conforto da visita porque o parque é enorme e a quantidade de soluções instaladas é mais do que suficiente para essa visitação.

NM: Como é que tem sido a reação das pessoas ao aparecimento do POEIRAS?
MCR: Muito boa, assim que tomam conhecimento do programa, já que esse foi pensado para ser extremamente abrangente em termos de gostos. Ainda não encontramos ninguém que não encontrasse pelo menos um motivo para ir. A maioria encontra vários.

NM: Para terminar peço-lhe que faça um convite a quem ler esta entrevista para aparecer no festival em Oeiras!
MCR: Venham ao POEIRAS porque é imperdível: Um parque lindo, muita música com dois palcos fantásticos, poesia em recitais incríveis, muita surpresa com performances e improvisos permanentes, jogos que muitos desconhecem e outros de que se recordação com prazer e contacto com a natureza. Um dia em cheio onde não faltam lugares para se comer, beber e preguiçar. A melhor oferta de entrada livre que já se viu em Portugal. E tragam a família toda porque são raros os programas que podemos fazer juntos. Como o POEIRAS não há certamente outro. Podem conferir em www.poeiras.pt.

Entrevista: Daniela Fonseca


,