David Carreira em entrevista sobre o novo single: "A metáfora é acabar com o David de antes e mostrar um novo David neste álbum" - Noite e Música Magazine

David Carreira em entrevista sobre o novo single: "A metáfora é acabar com o David de antes e mostrar um novo David neste álbum"


David Carreira em entrevista sobre o novo single: "A metáfora é acabar com o David de antes e mostrar um novo David neste álbum"

"Já Não Te Sinto" foi apresentado na plataforma do InstaStories com a participação de várias personalidades de áreas como o futebol e a televisão. Em entrevista, David Carreira falou do single e deste lançamento inédito de apresentação do tema. O artista revelou que o novo álbum sai ainda em 2018 e explicou as diferenças deste novo projeto comparativamente ao anterior.

"Já Não Te Sinto" sai cá para fora de uma forma invulgar. Como é que surgiu esta ideia de soltar o single com a participação de várias personalidades na plataforma do InstaStories?

Eu sempre fui muito ligado às redes sociais, até pela geração a que pertenço, e, cada vez mais, o mundo da música e das artes está mais ligado às redes sociais e ao digital. A ideia era mesmo fazer um lançamento assim nas redes sociais pela primeira vez. Acabei por juntar vários amigos de várias áreas, como a área do futebol, da televisão, da música, e eles cantaram uma parte da música para apresentar o som. As pessoas tinham que seguir uma rede de InstaStories para poderem ver a música no total.

Qual foi a reação dos teus fãs em relação a este lançamento?

Foi muito boa! Tanto dos meus, como dos fãs das pessoas que estiveram envolvidas neste lançamento. O mais engraçado é que acabamos todos por partilhar os interesses das pessoas que nos seguem e por mostrar o trabalho uns dos outros. É isso que se torna interessante porque as pessoas que conhecem o William Carvalho, o Rúben Rua ou a Sofia Ribeiro podem não me conhecer a mim. E quem me conhece pode não conhecer algumas pessoas que estiveram no lançamento digital. Desta forma achei interessante haver esta partilha entre nós e o single acabar por tornar-se um elo de ligação entre as pessoas envolvidas.

Antes do lançamento fizeste uma espécie de mostra para explicar o processo de criação da nova música. É importante para ti que as pessoas que te acompanham percebam esse processo de criação?

Eu pensei nisso porque durante as digressões tenho vários fãs que perguntam como funcionam as coisas em estúdio. Eu estou todos os dias em estúdio e sei como funciona o processo mas, as pessoas que não estão ligadas à música, não sabem como se cria uma música e só veem o processo final. Então a ideia foi mostrar a toda a gente, através das minhas redes sociais, como se faz para criar uma música. Eu quis mostrar tudo o que existe antes do resultado final, como a criação instrumental, as melodias, a letra, a gravação e tudo o resto.

O single "Já Não Te Sinto" tem passado nas rádios mas, para quem ainda não conhece, como é que o descreverias e apresentarias?

Basicamente esta música é o segundo single de um futuro álbum. O meu sétimo álbum que se chama DC7 e que sairá ainda em 2018. Para quem já ouviu o "Ficamos Por Aqui", que é o primeiro single, e ouviu o "Já Não Te Sinto" consegue perceber que continua a haver as ligações urbanas e o lado eletrónico que eu gosto bastante. A diferença é que este single apresenta também um lado mais R&B e um toque a nível de instrumental dos anos 80 com os sintetizadores. Quem não conhece tem que ouvir! (risos).

"Ficamos Por Aqui" é o primeiro avanço de DC7, o novo álbum de David Carreira que será editado em 2018.

Sobre o vídeo oficial de "Já Não Te Sinto". O que é que podes dizer deste vídeo?

No meu álbum passado, a ideia dos videoclipes era criar uma história que se seguisse em todos os vídeos. A forma de fazer os vídeos era muito mais cinematográfica e havia uma história que podia ser seguida do início ao fim do álbum. Para mim era um desafio brutal a nível da escrita dos videoclipes e da realização de alguns! Neste álbum a ideia é outra. É uma abordagem muito mais de moda e artística. Em vez de ir atrás das histórias, é ir atrás de planos muito bem estudados a nível de luz e conceito visual. No single passado, por exemplo, a letra falava de uma relação que terminava mas no videoclipe eu estava a acabar comigo próprio, até há uma altura em que acabo por ser enterrado. A metáfora é acabar com o David de antes e mostrar um novo David neste álbum. Uma nova proposta visual e musical. Neste segundo single a ideia mantêm-se. Há mais estética visual e mais moda. Temos a presença da Giovanna Ewbank que dá aquele toque sensual e sexual. Esta letra fala de uma fase da relação em que a ligação se perdeu e que por mais que a outra pessoa tente, tu já não a sentes. No vídeo, a Giovanna representa esse lado de quem quer tentar mas eu já não estou lá por inteiro e não vale a pena.

Para terminar, acabaste há pouco a tua última tour. Qual é o balanço que fazes do espetáculo em si e da forma com que foste recebido nesta 3 World Tour?

Foi ótima! Eu costumo dizer que tenho a sorte de fazer aquilo que gosto e de tudo estar a correr bem. Esta digressão foi, sem dúvida, brutal! Tanto esta digressão como a anterior foram ótimas! Muitos concertos, as pessoas cantam as letras do início ao fim e é muito bom poder conhecer cada vez mais Portugal e as pessoas. Quando tens um público que te acompanha do início ao fim, não há nada melhor. Neste momento já estou a trabalhar na próxima digressão, onde vou tocar o "Já Não Te Sinto" e outros temas, ou seja, uma pausa numa digressão que acabou mas já a pensar na próxima!

Entrevista: Daniela Fonseca