David Carreira em entrevista: "O "Ficamos Por Aqui" é o início de uma nova fase da minha carreira"


David Carreira em entrevista: "O "Ficamos por Aqui" é o início de uma nova fase da minha carreira"

No dia em que lança o seu novo single "Ficamos Por Aqui", estivemos à conversa com David Carreira sobre a mudança que este single representa na sua carreira. O artista revelou que está numa boa fase a nível profissional e pessoal mas que ainda quer fazer muito na música.

Noite e Música (NM): Hoje sai o teu novo single "Ficamos Por Aqui". Qual foi a tua inspiração para criar? Como é que a descreves?
David Carreira (DC): Eu normalmente quando escrevo uma música falo sempre de cosas que me vão acontecendo. Os temas têm sempre um bocado de mim, são sempre de episódios que vivo. No "Ficamos Por Aqui" acontece isso também. Quer pelo lado pessoal, quer pelo do lado profissional, é o fechar um ciclo e abrir outro. Esta canção fala daquela vontade de esquecer tudo o que aconteceu até agora, vamos ficar por aqui, e partir para uma coisa nova.

NM: Iniciaste a tua nova tour há sensivelmente dois meses. Como é que tem sido a reação das pessoas ao espetáculo que lhe apresentas?
DC: Tem sido brutal, a reação tem sido mesmo ótima. Já estivemos em muitos sítios, mesmo tendo a digressão começado há pouco tempo, já estivemos em Luxemburgo, Genebra e vamos agora estar num festival internacional perto de Paris. Por isso a tour está a correr mesmo muito bem. Vão enchentes de pessoas, sempre que canto sinto que quem está a ver conhece as letras do início ao fim, e não há nada melhor do que ver que o público sabe as canções. Portanto estou ansioso por tocar o "Ficamos por aqui" nos concertos, até porque já estou a tocar temas no novo álbum que saiu há duas semanas. Em relação à digressão, este ano a equipa está maior, há mais bailarinos e mais dança, por isso, estamos com um espetáculo muito bom mesmo.

NM: Continuando no tema dos espetáculos, quando pensas e preparas um concerto, o que é que pretendes oferecer ao público? Como é que queres que as pessoas se lembrem da tua atuação?
DC: Os artistas que são uma referência para mim e que eu cresci a ouvir são artistas que cantam e dançam ao mesmo tempo. Como o Justin Timberlake, o Usher, a Beyoncé, o Michael Jackson, o Chris Brow, são artistas que dão um concerto que entretém as pessoas. Não é apenas chegar com a guitarra, cantar as músicas e ir embora. Na minha opinião, um concerto tem que ser feito de momentos, uns em pegas na guitarra e cantas em acústico com o público, outros em que há dança para as pessoas ficarem mais divertidas e também espetáculos de multimédia com o palco a transformar-se! As pessoas hoje em dia já não vão para um concerto simplesmente para ouvir música, acho que agora um concerto tem que ser uma experiência única que apela a vários sentidos. É assim que eu penso os meus concertos e durante dois ou três meses toda a equipa está a trabalhar para preparar minuciosamente todos os detalhes do show.

NM: Além deste tema "Ficamos Por Aqui", estás a preparar o lançamento de mais alguma canção? Podes revelar-nos alguma novidade?
DC: (risos) Por enquanto o que eu posso contar é que o "Ficamos Por Aqui" é o início de uma nova fase da minha carreira. Saiu agora o single e daqui a uns dias vai sair o videoclipe que é um resumo com tudo o que eu fiz no passado. É mesmo uma nova fase, um novo David, e espero que o videoclipe ajude a mostrar essa diferença daquilo que fiz no passado e pretendo fazer no futuro. Este single é o primeiro de um futuro álbum português e a ideia é mesmo transmitir essa mudança.

NM: Para terminar, apesar de jovem, és um artista que já conta com alguns anos na música. Imaginavas que aos 25 anos terias este sucesso?
DC: Sinceramente eu estou muito contente com aquilo que, hoje, está a acontecer na minha vida pessoal e profissional. Mas ambiciono mais! Porque acho que os sonhos não têm tetos e a música muito menos. Já tive a hipótese de fazer duetos com grandes artistas, de cantar em salas incríveis, e não há nada melhor do que isso! Não há nada como poder fazer aquilo que se gosta e as coisas estarem a correr bem. Mas quero fazer mais e diferente, e espero daqui a um ano podermos falar novamente e fazeres-me a mesma pergunta! (risos). Nunca estamos à espera de sucesso, trabalhamos o máximo para as coisas correrem bem e serem as melhores possíveis mas nunca se pode estar certo do sucesso. Nunca há certezas e isso é que torna o nosso trabalho tão emocionante. Não estava à espera mas estou a trabalhar para continuar e fazer cada vez melhor.

Entrevista: Daniela Fonseca


,